Dry Martini - Charme em forma de bebida

 
 

 Adoro Dry Martini, e posso afirmar que, apesar de ser super exigente, São Paulo está muito bem servido de barmans. Em todos os restaurantes que frequento os Dry Martinis são muito bem feitos. Para citar alguns, Gero, Charlô, Piselli e A Bela Sintra fazem a bebida do jeito que eu gosto, bem seca, com poucas gotas de vermouth Noilly Prat. Meu gin preferido é o Bombay, mas o Tanqueray também é muito bom. Uma dica fundamental para um Dry Martini perfeito é manter o gin e as taças sempre no freezer. Desta maneira evita-se ter que misturar a bebida com gelo na coqueteleira, e assim ela não fica aguada.

 
 
2017-11-21.jpg
 
 

Do famoso Harry´s Bar de Veneza a bebida foi catapultada à fama, ajudada também pelo escritor norte-americano Ernest Hemingway, que frequentava o local e era um dos maiores fãs do Martini Seco. Lá as taças já são guardadas no freezer prontas para servir. Mas a origem da bebida é incerta, acredita-se que foi criada por um barman novaiorquino lá pelos anos 1910. Para arrematar, prefiro azeitonas do que a casca de limão. Mas a discussão de como fazer o melhor Dry Martini é antiga e eterna. Acho que este é o maior charme da bebida. " 

Toninho Noronha, Arquiteto

 
 
cristian firmino