Toninho Noronha é preto no branco

 
 Toninho Noronha

Toninho Noronha

Dono de um estilo sóbrio, o arquiteto que nasceu norte-americano, cresceu carioca e se estabeleceu em São Paulo faz ambientes neutros e gosta de transformar materiais. Para ele, cor forte fica por conta da obra de arte.

As piscinas em forma de ameba, as colunas de concreto e as linhas retas das casas e dos edifícios construídos no Rio de Janeiro nos anos 1950 influenciaram, desde os 10 anos, o arquiteto Toninho Noronha na escolha de sua profissão. “Eu era fascinado pelos prédios modernos e acompanhava o que acontecia em arquitetura na época”, diz. Carioca de criação, Antonio Henrique de Noronha – seu nome de batismo – nasceu em Washington DC, nos Estados Unidos, onde seu pai prestou serviço para a Marinha brasileira durante a Segunda Guerra Mundial.

Após se formar na Universidade Federal do Rio de Janeiro, ele mudou-se para São Paulo e, há dez anos, montou o escritório no qual realiza obras contemporâneas, muitas premiadas no país. Seu estilo sóbrio e sofisticado destaca-se em residências e em lojas e restaurantes badalados dos Jardins. “O segredo é nunca ser repetitivo. Eu sofro de ansiedade porque sempre quero ser muito criativo e fazer algo diferente em cada projeto”, afirma. “Em arquitetura é preciso estimular os sentidos, valorizar o conforto e a funcionalidade acima de tudo.”

Elegância em cor e formaAdoro criar ambientes em branco, preto e cinza. Assim, consigo destacar as cores das obras de arte.”

Gosto da arte contemporânea abstrata de artistas como Ana Tavares, Artur Lescher, Abraão Palatnik, Antonio Dias e Milton da Costa.” Na foto ao lado, a obra Fosfix é de Estela Sokol, da Galeria Virgílio.

Sempre faço um trabalho diferente em uma parede de cada ambiente.” Atrás da obra de arte, a superfície recebeu folhas de prata.

O preto fica bem em tudo: nos estofados de algodão ou de couro, nos móveis laqueados, em parede com resina, no tapete ou no assoalho ebanizado.”

Se a moradora não tem livros de arte ou objetos bonitos, sugiro apenas um vaso com flores sobre a mesa de centro.”

Prefiro sofás firmes (foto) no living. Mas, para assistir à TV, opto por modelo com almofadões de plumas para se afundar neles.”


 
Lucas Gonzaga